12 de out de 2009

Música eletrônica de raiz braliseira

Latões de lixo, frigideiras, latas de tinta, bolas, escapamentos de carro e uma série de materiais recicláveis mais djs e percursionistas. Isso é o Patubatê. Este grupo do Distrito Federal consegue criar música eletrônica de raiz brasileira com tudo que as duas têm de melhor. Patubatê abriu ontem a última noite de shows do Brasil Rural Contemporâneo e conseguiu animar todos os presentes não só pela música, mas pela criatividade e coreografia dos integrantes. Eles pulam, gritam, carregam materiais pesados, usam chapéus de cangaceiro em neon e jogam água no público. Um espetáculo em todos os sentidos.

A inspiração no grupo internacional Stomp é clara, mas o toque brasileiro que eles trazem é original. Patubatê já existe há 10 anos, mas admito que só os conheci ontem. Confesso também que me apaixonei pelo som do grupo. Segue um dos vídeos disponíveis no canal oficial do grupo no youtube e o link do site deles para quem quiser saber mais sobre o grupo. Vale a pena!!

http://patubate.com/

8 de out de 2009

Uma brilhante reflexão

A primeira vez que ouvi essa música, senti que algo mudou em mim. Melodica, rica em sua letra, cativante. Nada mais do que a busca pela liberdade, seja ela qual for. Claro que, para ser brilhante, foi escrita por ninguém menos que Bob Marley, ícone do reggae. Dentre suas inúmeras criações, "Redemption song" é minha favorita. Por motivos muito pessoais, a canção me passa uma tranquilidade, um equilíbrio, um ideal de novo caminho. Perfeita para ouvir a beira do mar durante um dia de sol e refletir.

O cantor a escreveu em 1979, pouco depois de ser diagnosticado com câncer, motivo pelo qual veio a morrer em 1981. A versão original da canção foi gravada em um solo acústico de Marley, sem acompanhamento, porém uma das performances mais conhecidas é a de Lauren Hill com o Ziggy Marley, filho do cantor.

Resumindo: Esta é uma música imprescindível, para todos os momentos. Ouça e reflita.

Segue o link para quem quiser escutá-la e a letra, que merece um destaque em especial:
http://www.youtube.com/watch?v=OFGgbT_VasI


Redemption Song

Old pirates, yes, they rob I,
Sold I to the merchant ships,
Minutes after they took I
From the bottom less pit
But my hand was made strong
By the hand of the Almighty
We forward in this generation
Triumphantly

Won't you help to sing,
These songs of freedom?
'Cause all I ever have:
Redemption songs,
Redemption songs!

Emancipate yourselves from mental slavery
None but ourselves can free our minds
Have no fear for atomic energy,
'Cause none of them can stop the time
How long shall they kill our prophets,
While we stand aside and look
Huh, some say it's just a part of it:
We've got to ful fill the Book

Won't you help to sing,
These songs of freedom?
'Cause all I ever have:
Redemption songs,
Redemption songs,
Redemption songs!

Emancipate yourselves from mental slavery
None but ourselves can free our mind
Oh, have no fear for atomic energy,
'Cause none of them-a can-a stop-a-the time
How long shall they kill our prophets,
While we stand aside and look?
Yes, some say it's just a part of it:
We've got to ful fill the Book

Won't you help to sing,
These songs of freedom?
'Cause all I ever had:
Redemption songs,
All I ever had:
Redemption songs!
These songs of freedom,
Songs of freedom!

6 de out de 2009

Não vamos parar!

No último final de semana fui ao teatro Oi Casa Grande, aqui no Rio de Janeiro, assistir ao musical Hairspray e advinha? Fiquei apaixonada! O que era o Edson Celulari de Edna? Um arraso! E, como todo grande fã de musicais, sai do local cantarolando as músicas e me perguntando o motivo de as trilhas sonoras não estarem mais no dia a dia da gente. Quando você foi em um restaurante, boate ou ouviu na rádio uma canção de trilha originalmente de musicais? Eu não consigo lembrar...

Quando vi o filme pela primeira vez, com Queen Latifah, John Travolta, Zac Efron e outros brilhantes atores, no final tudo que eu queria era sair dançando por aí! Sem exagero! Todo o clima dos anos 60, as roupas, os trejeitos, a decoração, tudo me fazia querer fazer parte daquele mundo. Nesse momento, percebi que os musicais, os bons musicais, devem fazer isso conosco, criar essa viagem no tempo, qualquer que ele seja. Essa música, especificamente, tem uma batida clássica da época, letra simples e muito ritmo. Veja o filme, vá a peça e ouça sempre que precisar de um animo extra, "You can't stop the beat" ou a versão em português "Não vamos parar". Minha preferida!

Segue o trailler original do filme para te inspirar a amar a trilha sonora:


Beijos e até a próxima!

A nova Madona?



Com o passar das décadas, algumas tentativas de Madona já passaram por aí, mas parece que uma veio para ficar. Stefani Joanne Angelina Germanotta, 23 anos, mais conhecida como Lady Gaga, conseguiu emplacar três singles de seu álbum de estreia no top 10 da Billboard. Com uma batida eletrônica pop, a cantora personifica uma mulher extremamente liberal em busca de quebrar barreiras. As letras de Lady Gaga falam de tabus, tanto quanto os clipes, e o ritmo vem para contagiar as pistas de dança ainda por muitas estações.

Porém, apesar de opiniões contrárias, julgo como minha preferida “Just dance”. A música renova a indústria pop, que há tempos vem tendo dificuldade para encontrar um novo ícone, e dá início a uma cantora que tem tudo para revolucionar a indústria. Lady Gaga não foge do industrial, do senso comum, do esperado, mas mistura tudo com muita irreverência e cria sucessos que não buscam ser nada mais que um hit pop. Se alguém escutar essa música e conseguir ficar parado, por favor, me fale!

Para quem quiser conferir, segue o link: http://www.youtube.com/watch?v=ULng39zrCqU

Beijos e até a próxima!